O código genético e a síntese proteica

ABAAAAtmMAJ-0

O código o genético do DNA se expressa por trincas de bases, que foram denominadas códons. Cada códon, formado por três letras, corresponde certo aminoácido. Diz-se que código genético é degenerado porque cada aminoácido pode ser codificado por mais de uma trinca de bases nitrogenadas. Há ainda alguns códons que não codificam aminoácidos mas esses estão envolvidos com o início (AUG) e parada (UAA, UAG e UGA) da síntese proteica.
As bases nitrogenadas ligam-se por complementaridade. No caso do DNA a complementaridade ocorre entre as duas fitas do DNA, já no RNA por ser uma fita simples as bases se complementam durante a sua associação com a molécula de DNA e outras moléculas de RNA durante os processos de transcrição e tradução, respectivamente. A adenina (A) liga-se com timina (T) por 2 pontes de hidrogênio e a citocina (C) liga-se com guanina (G) por 3 pontes de hidrogênio. No caso do RNA, como ele não possui timina, a adenina complementa-se com a uracila (U).
A transcrição é o processo pelo qual uma molécula de RNA é sintetizada a partir de um molde de DNA. Através da transcrição, são sintetizados todos os tipos de RNAs da célula, ou seja, o RNA mensageiro (RNAm), o RNA ribossômico (RNAr), o RNA transportador (RNAt) e outros RNAs menores. Todos os RNAs estão envolvidos ativamente na síntese protéica. O RNAm será usado para transferir a informação genética do DNA às proteínas, mas os demais RNAs sintetizados têm, por si, funções finais na célula, tanto estruturais como catalíticas.
O RNAm possui uma enzima chamada RNA polimerase que rompe as ligações de hidrogênio entre as bases nitrogenadas separando os dois filamentos do DNA, expondo suas bases expostas. O RNAm se liga a bases de um desses filamentos, produzindo bases correspondentes. Após a formação do RNAm maduro, este migra para o citoplasma, através dos poros nucleares, onde ocorre a tradução.
Na tradução, a sequência de bases presentes no RNAm passa para uma sequência de aminoácidos. Cada grupo de 3 bases consecutivas presente no RNAm – códon – corresponde a um aminoácido. No citoplasma estão presentes o RNAt, que é capaz de se ligar a unidades de aminoácidos dissolvidos no citoplasma e transportá-los até o RNAm. O RNAt reconhece no RNAm o códon de iniciação para a tradução (AUG), que codifica o aminoácido metionina. Cada RNAt tem um anticódon específico. Após o reconhecimento do RNAt-RNAm, o ribossomo desloca-se sobre o RNAm, unindo os aminoácidos transportados em cada RNAt por meio ligações peptídicas. Esse processo é repetido até que o RNAr encontre o códon de parada (UAA, UAG ou UGA), formando uma cadeia de aminoácidos, ou seja, uma molécula de proteína.
FONTE http://educacao.globo.com/biologia/assunto/genetica/nucleo-e-sintese-proteica.html

veja também:

 

 

Slide01 Slide02 Slide03 Slide04 Slide05 Slide06 Slide07 Slide08 Slide09 Slide10 Slide11 Slide12 Slide13 Slide14 Slide15 Slide16 Slide17 Slide18 Slide19 Slide20 Slide21 Slide22 Slide23 Slide24 Slide25 Slide26

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *